All hail the Crimson King

 

Eu vejo a torre e toda a escuridão que a rodeia
Eu posso ver.
Eu vejo a rosa e um par de olhos pesados sobre ela
São os olhos vermelhos do rei.
Eles cortam a escuridão como se a absorvessem.
Do alto da torre eu observo o rei e ele é rubro
Eu vejo a morte tecendo a sua teia por 
todos os andares da torre
Eu posso ver.
Vejo como os demônios que à habitam, 
saciam a sua lascividade
Eles possuem um código entre si, 
uma ética, uma bússola moral que dissimuladamente 
aponta para os seus apetites, mas eles não sabem disso.
Só eu posso ver.
Vejo a torre pender vacilante 
a mercê dos feixes que ainda lhe restam
Vejo a rosa que resplandece rubra como o rei, 
mas já quase vencida. 
Percebo que os mesmos porcos que se alimentam dela 
se liquefariam no mesmo instante em que ela tombasse
Eu vejo o frágil e tênue equilíbrio
que sustenta a nossa "metafísica”, eu vejo...
Eu posso ver!
E sei que apenas ao caos posso entregar a nossa sorte...
Todos saúdam o Rei Rubro!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s